sábado, julho 29, 2006

A inauguração da nova sede da Junta de Freguesia

Fiquei a saber esta semana que na minha aldeia será inaugurado muito em breve o novo edifício sede da Junta de Freguesia.
Quando comecei a ouvir falar desta obra tive alguma esperança que nunca se concretizasse. Mas, apesar de se dizer que o país está em crise e faltar o dinheiro e os recursos em algumas áreas, infelizmente continua a haver financiamento para obras desnecessárias e inúteis. A junta de freguesia já tinha um edifício sede bem localizado, em pleno centro da aldeia, de fácil acesso, com boas instalações que podiam até ter um melhor aproveitamento. Mas os nossos autarcas ignorantes gostam de deixar a sua marca em obras de fachada pensando assim que a sua memória será para sempre perpetuada e exibindo toda a sua vaidade, já que cultura e competência é coisa que escasseia. E aí estão estas obras que nos envergonham e que perpetuam a ignorância e a burrice.
Esta obra tem duas consequências imediatas que são nefastas para a vida desta comunidade. Por um lado afasta-se do centro e de um local acessível para todos (importa dizer que esta aldeia é habitada por muita gente já de idade avançada) uma instituição a que muitos precisam de recorrer com frequência. O novo edifício foi construído na periferia, num local vazio onde o vizinho mais próximo é o cemitério.
Por outro lado, deixa-se ao abandono mais um edifício no centro "histórico" da localidade. Um dia destes irei ouvir os mesmos senhores que tomam estas decisões a falar do aumento da insegurança dos habitantes. Por último, arrancaram-se mais umas árvores e criou-se mais um monumento de betão.
Não há paciência! E pensar que é para isto que serve o dinheiro dos impostos que pago mensalmente!! E ver tanto onde, de facto, seria necessário investir, mesmo naquela aldeia!! Não há estômago que aguente!!
Entretanto foi publicada, num dos jornais da região, uma interessante notícia sobre o assunto. Aqui fica o endereço: http://www.jornaltorrejano.pt/JT525/sociedade1.htm

2 comentários:

Isabel Cristina disse...

Vejo que continuas crítica e atenta!... Ainda bem! Não temos falado mas vou seguindo o "Desabafos" embora sem escrever o número de vezes que queria ...
O Tempo, esse fugitivo...

Mas esse Tempo que corre não muda o essencial em Portugal: a mentalidade, a formação, a capacidade de ser cidadão, anónimo ou autarca.
Situações como as que descreves estão por todo o país. Devíamos todos - e não o fazemos, contra mim própria falo - denunciar alto e bom som essas aberrações. Pelo menos tu descreve-las!
Beijo amigo

TF disse...

Isabel Cristina
Agradeço o comentário. Infelizmente não escrevo tudo o que gostaria. Mas lá vou de vez em quando, de forma esporádica como se vê, tendo algum tempo para este pequeno prazer.
Beijinhos e votos de um bom recomeço.
Teresa